Por que um Cátedra em Educação para a Justiça Social?

O mundo está passando pela maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, a brecha entre ricos e pobres está aumentando, a pobreza extrema continua existindo em muitos países e milhões de pessoas continuam passando fome no século 21, a violência de gênero é mantida, homofobia, racismo, aporofobia e xenofobia, a exploração laboral persiste -até mesmo infantil-, o tráfico de seres humanos, a destruição da biodiversidade é imparável e as alterações climáticas já são um facto e não são tomadas medidas para o inverter. Diante desta situação, a educação não pode permanecer alheia, é importante que contribua para a construção de uma sociedade mais justa.

Nos últimos anos, a necessidade de educação para colaborar na construção de uma sociedade mais justa tem gerado o foco da Educação para a Justiça Social nos últimos anos, especialmente nos países anglo-saxônicos. Na América Latina, no entanto, a questão ainda é muito incipiente, apenas em alguns países e de forma tímida começa a desenvolver essa perspectiva.

Esta Cátedra pretende aproveitar a liderança internacional em Educação para a Justiça Social que a Universidade Autônoma de Madri tem através do grupo de pesquisa “Mudança Educacional para a Justiça Social” (GICE) e do Instituto DEMOSPAZ, para promover o desenvolvimento de uma Educação para a Educação Social baseada em quatro elementos complementares:

  • Pesquisa interdisciplinar de alta qualidade.
  • Desenvolvimento de uma Educação para a Justiça Social através da elaboração de materiais didáticos e da promoção de ações de inovação em centros educativos e educação não formal.
  • Formação de professores e especialistas em Educação para a Justiça Social.
  • Divulgação de documentação, pesquisa e recursos em Educação para a Justiça Social.

Tudo isso é para ser alcançado através de ações colaborativas entre instituições e geração de redes.