Marta Sandoval

Professor contratado como médico no Departamento de Psicologia Evolutiva e Educação da Faculdade de Formação de Professores da Universidade Autônoma de Madri. Ela obteve seu doutorado em 2003 pela Universidade de Comillas e foi pesquisadora na linha de estudo “desigualdades na educação” do antigo Centro de Documentação e Pesquisa Educacional do Ministério da Educação. Em 2004, começou a trabalhar como professora associada na Faculdade de Formação de Professores da Universidade Autônoma e, por seis anos, combinou esse trabalho com trabalhos de orientação educacional e de ensino em diferentes centros públicos da Comunidade de Madri.

Seu interesse de pesquisa está ligado à inclusão educacional. Este assunto de estudo requer o planejamento, implementação e avaliação de processos de inovação e melhoria que promovam mudanças físicas, curriculares e organizacionais nas escolas e, portanto, está atrelado à transformação de culturas, políticas e práticas educacional em centros educacionais. Essa motivação o levou a fazer duas estadas de pós-doutorado no Reino Unido (na Universidade de Canterbury e na Universidade de Manchester) para treinar mais em projetos de pesquisa colaborativos e construir redes de pesquisa que posteriormente lhe permitiram participar de dois projetos internacionais competitivos “Ensinar diversos alunos em disciplinas escolares” (Rede multilateral Comenius 541969-LLP-1-2013-1-DE-COMENIUS-CNW) e “Responder à diversidade, engajando-se nas vozes dos alunos: uma estratégia para desenvolvimento de professores” (Comissão Europeia 518637-LLP-1-2011-1-UK-COMENIUS-CMP) da qual participa atualmente.

Ela foi co-fundadora do “Consortium for education inclusive”, que adaptou o Index para inclusão ao contexto espanhol pela primeira vez em 2004 (Booth e Ainscow, 2002). Este material, que foi traduzido como um guia para a avaliação e melhoria da educação inclusiva, permite analisar o contexto escolar em torno de três dimensões inter-relacionadas: a “criação de culturas inclusivas”, a “produção de políticas inclusivas” e o “desenvolvimento de práticas inclusivas ”. Eles abrangem todos os aspectos da vida escolar, desde a colaboração e os valores, até políticas de apoio à entrada e à aprendizagem, práticas em sala de aula e planejamento de recursos. Esse consórcio continua apoiando a disseminação desses materiais e seu uso em diferentes contextos escolares.

Desde 2004, ele participa de diferentes projetos competitivos de chamadas de pesquisa nacionais e regionais. Ele também dirigiu dois estudos competitivos, um intitulado “Modelos de centros e experiências de ensino nos processos de apoio a estudantes em risco de exclusão educacional”. (2011-2013) financiado pelo Ministério da Educação e em 2015 “Design Universal de Instruções no ensino universitário ”financiado pela UAM e pelo banco Santander, no qual a Universidade do Norte do Arizona (EUA) colabora.

Um de seus maiores reconhecimentos se baseia, por um lado, em ser autor e coordenador do curso de formação de professores “Educação Inclusiva. Equals in Diversity ”nas edições nacional e latino-americana há mais de quatro anos. Este curso foi promovido pelo Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores do Ministério da Educação. Em relação a essa área, o professor ministra um curso MOOC  que começará sua sexto edição em 2020.

Por outro lado, a Agência Europeia para o Desenvolvimento da Inclusão Educacional o nomeou especialista em indicadores de avaliação de centros inclusivos em 2007. Desde que este ano ele colabora na elaboração de relatórios de vários projetos, o mais recente é “Rasing Achievement para todos” (517771-LLP-1-2011-1-DK-COMENIUS-CAM).

Email:  marta.sandoval@uam.es